Arquivo da tag: família

Padrasto

Padrasto é um cara que começou a sair com uma mãe solteira. Ele provavelmente soube que ela era mãe solteira logo nos primeiros encontros, porque mãe solteira é assim: já abre logo o jogo para espantar os possíveis pregos que existem por aí. Esses pregos existem, tá? Já ouvi de amigos meus que é sempre melhor sair com moça sem “pacote”. Direito deles. Então, para uma mãe solteira, é sempre melhor eliminar os pregos logo no início, com todo respeito.

Padrasto é um cara que começou a sair com uma mãe solteira e penou para lidar com os dias em que ela poderia sair. Porque não é sempre que a criança está com pai, avó ou babá, então nem sempre a mãe solteira consegue pôr os pés pra fora de casa. O padrasto é um cara que quis sair com a moça e esperou chegar um dos dias em que ela podia sair.

Teve dias em que ele foi buscar a moça em casa e ela estava toda linda e maquiada pro date. Mas teve dias em que ele chegou e a criança estava por lá e o programa miou. Coisas acontecem: babá furou, o pai mudou o dia, a avó não pôde cuidar. E teve também o dia em que o padrasto chegou para buscar a moça, que estava arrumada e com babá em casa, mas a criança estava com uma dor de ouvido tão grande que os três passaram a noite no pronto-socorro.

Padrasto é um cara que passou a fazer mais dates dentro de casa que fora de casa. É um cara que passou a fazer jantares para a namorada enquanto os pequenos dormiam. E que aprendeu a fazer sexo sem fazer nenhum barulho. E também a ser interrompido sem reclamar caso a criança chamasse, porque filho está sempre em primeiro lugar.

Padrasto é um cara que foi apresentado para a criança e recebeu de volta uma cara feia de “qualéquié”. E aí teve que fazer vários malabarismos para conquistá-la. E depois começou a incluir a criança nos dates: restaurantes com cadeirão, tarde de domingo na praia, parquinho no sábado de manhã, tudo para deixar a namorada feliz e poder passar mais tempo com ela.

Padrasto é um cara que, mesmo sem nenhuma criança por perto na família, se viu um dia discutindo desfralde noturno ou melhores produtos para higiene infantil com os culegas da firma – e ele nem sabia que tinha tanto conhecimento nesses assuntos. E, sem perceber, se viu tão envolvido com a criança quanto com a mãe dela.

Padrasto é um cara que pediu uma mãe solteira em casamento, ou seja, pediu para morar junto com a namorada e com a criança. Ele adotou uma família. Padrasto também é um tipo de papai adotante.

Nós não somos princesas, que precisam necessariamente se casar com um príncipe encantado para serem felizes para sempre. Mas é muito legal quando aparece alguém bacana na nossa vida.

Etiquetado ,

1 ano de bebês

3 de agosto é o aniversário da nossa família. Foi o dia em que levamos nossos brigadeirinhos para casa, e eu virei mamãe e eles viraram filhos. Há um ano, vivo para eles. Há um ano, mudei minha vida toda, adaptei a rotina, a casa, os horários, os passeios de finais de semana e as minhas prioridades para cuidar dos meus bebês. Há um ano, aprendi um jeito diferente de amar e um jeito diferente de ser feliz.

Para comemorar o primeiro ano juntos, recebemos a família e alguns amigos para uma pizza em casa, para que os bebês pudessem abraçar todas as pessoas especiais na vida deles. Mamãe gosta de festa! 🙂

Pequenos, eu prometo que vou estar por aqui para vocês para sempre. Amo vocês dois demais. Vamos viver juntos para sempre.

 

 

Etiquetado , , ,

Como preparar dois enxovais em uma semana

Decidir que iríamos começar a aproximação significou querer que nossos brigadeirinhos viessem para casa o mais rápido possível. Então, no mesmo final de semana que começamos as visitas diárias, saímos correndo atrás de um monte de coisas para eles.

E sorte nossa que temos amigos e parentes tão queridos. Uma amiga nos deu dois berços que viram mini-camas, um carrinho e dois cadeirões. Decidimos que eles já começarão a dormir em mini-camas, com proteções laterais para não caírem no chão. Uma outra amiga nos deu outro carrinho e pedimos para um amigo que está chegando dos EUA uma trava que transforma dois carrinhos em carrinhos de gêmeos. Eu dei um Google em “carrinho de gêmeos” e achei um fórum de discussão onde mamães de gêmeos diziam que os carrinhos duplos não são práticos, porque muitas vezes não cabem no elevador e no porta-malas. Além disso, se tivermos dois carrinhos individuais, cada um pode empurrar um carrinho quando sairmos juntos. O único problema é que, aparentemente, não é fácil encontrar a tal da trava no Brasil.

Em dois dias, compramos as cadeirinhas para o carro, algumas roupinhas, fraldas, coisas para higiene deles, coisas de cozinha (pratos, talheres e copinhos) e o mesmo leite em pó que eles tomam no abrigo. Ganhamos um cercadinho, brinquedos, lençóis, toalhas, mais roupinhas. E durante a semana lembramos de outras coisas que com certeza iríamos precisar e demos vários pulinhos na Alo Bebê. Na correria, não conseguimos ter todas as coisas versão “menino” e versão “menina”: nossa filha vai usar babadores azuis e nosso filho vai dormir em lençóis cor-de-rosa. 🙂

Depois que eles chegarem sabemos que vamos perceber que falta um monte de coisas , mas decidimos não sair comprando enlouquecidamente sem ter certeza do que vamos precisar. Eles têm o básico para os primeiros dias e depois vamos nos organizando, os cinco juntos (nosso cachorro está incluso)!

Etiquetado , , ,