Manual de etiqueta para lidar com um adotante

Aconteceu hoje de manhã. São três anos como mamãe adotante, e três anos ouvindo perguntas indelicadas sobre adoção. Eu nunca dei uma resposta mal educada, porque sempre quero acreditar que a pessoa não pensou na gafe que estava cometendo ao perguntar. Mas espero que esse manual ajude a dar mais noção para quem quer conversar sobre adoção por aí, principalmente para quem for conversar com alguém com quem não tem nenhuma intimidade.

– Ah, eles são adotados. Então você não teve filhos?

Mano, como assim não tive filhos? Não estamos justamente falando sobre os meus FILHOS? Como você me pergunta se não tive filhos, pessoa?

– Mas você não quis ter filhos seus?

Eles são meus. Muito meus. Têm meu sobrenome. Meu nome está em todos os documentos deles. São MEUS pra caramba. E é irrevogável. São meus filhos e não deixarão de ser meus nunca.

– Mas você não quis/ não pôde engravidar?

Eu, particularmente, não quis engravidar, nem sei se posso engravidar, e não tenho problemas em falar sobre isso. Mas pense no que acontece para alguém não poder engravidar: 1) a moça não tem um parceiro para engravidá-la, 2) a moça não tem um parceiro para engravidá-la e não tem recursos para fertilização, 3) a moça não pode engravidar por alguma questão de saúde, 4) a moça pode engravidar, mas tem alguma doença que pode ser transmitida para o bebê e prefere não fazer isso, 5) a moça engravidou naturalmente e perdeu o bebê (uma vez, algumas vezes), 6) a moça fez diversos tratamentos para engravidar e não conseguir engravidar, 7) a moça não gosta de fazer sexo, e é preciso fazer sexo para engravidar por vias naturais, 8) <insira aqui outro motivo>. Qualquer coisa que tenha acontecido para alguém não poder engravidar é ÍNTIMO. Você, que não tem nenhuma intimidade com esta pessoa, não deveria ficar investigando estas questões. Às vezes dói, constrange, incomoda falar. Por favor, nunca mais façam essa pergunta.

Só para constar: não querer ou não poder engravidar não tem nada a ver com adotar. As pessoas podem querer engravidar E adotar, e pronto.

– E você conhece os pais deles?

Conheço. A mãe sou eu e o pai é meu ex-marido. Você se refere aos genitores? Por que essa informação é relevante na sua vida?

– E eles sabem que são adotados?

Cara, você que me fez essa pergunta certamente não é alguém próximo em minha vida. Então, raciocine: por que eu contaria para você um segredo que tento esconder de meus filhos? Você acha que tem algum privilégio para guardar uma informação que meus filhos não podem ter? Jura?

– E você não tem medo de <insira aqui alguma bobagem>?

Não. Eu não tenho medo de doenças, riscos, coisas que podem acontecer, problemas, traumas ou qualquer coisa que você esteja prevendo. Se eu tivesse – não há mal nenhum em ter medos na vida – certamente não estaria a fim de dividi-los com você. É íntimo e não temos intimidade.

Mamães e papais adotantes, mais alguma pergunta irritante que vocês costumam ouvir por aí?

Anúncios
Etiquetado

7 pensamentos sobre “Manual de etiqueta para lidar com um adotante

  1. Brisa disse:

    Adorei o manual, acho que a pessoas tem que ser mais delicadas nos diálogos. Existe uma grande facilidade das perguntas acabarem se tornando íntimas demais rapidamente. Quando me fazem aquela pergunta clássica “e aí, não vão tentar?não vai vir um bebezinho? quando? quando?” … eu já não sei mais qual sorriso amarelo colocar no rosto. Sempre tive vontade de adotar, uma vontade anterior à de engravidar, e nunca pensei que esse meu filho poderia ser diferente de um biológico. Mas é lógico que nem todo mundo pensa assim, e daí vem as indelicadezas. Um beijo

  2. Sheila Salles disse:

    Perfeito!
    Tem gente que merece resposta mal educada; se a pessoa não teve vergonha de perguntar, pq eu devo ter de responder a altura?

  3. Cibele disse:

    Uma das clássica é: ahhh, agora que vc adotou, vc engravida! hahahahaha
    Fala sério!
    Amei o texto!

  4. Greice disse:

    Show Ruri! Eu hoje convivo com a pergunta “ah, e vocês não vão ter bebê?”, logo eu respondo, “vou sim, estamos na fila de adoção.” Claro, como eu não dou sequência ao diálogo, a pessoa geralmente não me pergunta mais nada, mas o comum é um choque e uma cara com ponto de interrogação. hahaha…

  5. Rosana gemelii disse:

    Você tem um filho do coração e um do útero e dai chega uma anta e te pergunta : quem é tua filha ??? As duas !! Mas tu não tens uma de criação ??? Naooooo !! Não tenho !!!! De criação na minha casa só os cachorros !( detalhe : com as meninas junto)) !!! Afffff !!! Que vontade de esganar !!!!!

    • Danielli Schumacher disse:

      É o fim da picada! Não sei se eu conseguiria não esganar essa pessoa. Fiquei com raiva só de ler, imagina se fosse comigo!

    • Júlia Ellert de Souza disse:

      Não sei se você vai ler esse comentário.
      Mas tenho muita vontade de adotar e de engravidar. Que filha você teve primeiro? Como foi a adaptação? Que dicas você tem?

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: