Para o ano que vem chegando

Querida Ruri,

2017 vai começar em poucos dias e tem algumas coisas que eu queria te dizer sobre este novo ano.

Você vai começar o ano muito bem. Vai entrar em 2017 ao final de uma semana de férias em um lugar lindo, ao lado de uma amiga querida que está nessa jornada há mais de 15 anos, e vai ter um jantar incrível, depois irá para uma festa animada e vai começar o ano apaixonada (essa paixonite vai durar poucos dias, mas vai te fazer muito bem, então não fuja).

Você não costuma fazer resoluções de ano novo, mas este ano você vai fazer uma única resolução, a mais acertada dessa vida: deixar para trás tudo o que fez mal em 2016. Você só vai levar para 2017 o que te faz bem. E cortar relações com coisas que incomodam, que fazem mal, que entristecem, vai ser, sim, a melhor coisa do ano. Nem olhe para trás. Largue tudo que fez mal em 2016.

Você vai encontrar muito amor em 2017. Vai encontrar um relacionamento incrível, que junta amor, respeito, companheirismo e liberdade. Vai viver perto dos grandes amigos como nunca conseguiu viver antes, com muitas viagens, muitos shows, muitos jantares, muitos abraços, e tudo isso vai ser ainda melhor que na época da faculdade, quando você conheceu a maioria deles. Você vai olhar muitas vezes para os amigos que conheceu aos 10 anos de idade lá na escola e agradecer por eles ainda estarem ali. Você vai dedicar tempo para cuidar da sua vó e vai descobrir a companhia mais fofinha do mundo para ir ao ballet. Não deixe de convidá-la e de levá-la em tudo o que puder.

Não faça tanta escova no cabelo, não. Aplique todas as técnicas de no poo e co wash que você pesquisar para Ruth no seu próprio cabelo e deixe-o armar e ondular também. Ficará bem melhor.

Conserte tudo o que quebrar na sua casa rápido. Não deixe acumular uma lista de pendências domésticas para resolver, porque a preguiça aumenta, dá desânimo e custa dinheiro do mesmo jeito. E compre cabides novos para você, vai te fazer feliz ver o armário arrumadinho.

Depois de anos querendo, tentando e falhando em ser vegetariana e/ ou vegana, em 2017 isso vai dar certo. E você vai se sentir orgulhosa demais quando estiver há mais de seis meses sem comer nada de origem animal, porque isso faz bem para o corpo, para o planeta e tem também o gostinho de ser persistente e conseguir! Não dá para ter certeza, mas acho que há grandes chances de você conseguir seguir uma dieta plant based para sempre, e vai ser ótimo. Então não tenha preguiça: cozinhe muito esse ano, prepare marmitas, leve lanchinhos na mochila, faça um prato de arroz com feijão antes da festinha onde só vai ter bolinha de queijo para comer. Você vai ter muito orgulho de si mesma por isso.

Você também vai querer cuidar do corpo como nunca, vai fazer a mountain bike ser prioridade, mas também vai praticar muita corrida, natação, yoga e musculação e vai se afogar em tanta endorfina. Faça isso, vai ser bom. Mas não se frustre quando perceber que os planos de correr uma meia maratona em dezembro e de fazer um short triathlon em outubro vão furar e você vai perder todo o dinheiro das inscrições. Não fique triste. O câncer vai vir de novo este ano, mas você vai aprender tanta coisa com isso, que meia dúzia de camisetas não usadas não vão ser nada (porque você vai lá buscar todos os kits mesmo sem fazer as provas, tá?).

O câncer vai te mostrar como foi bom investir tempo em leituras, cursos e práticas de budismo moderno e meditação, porque essa coisa toda de preparar a mente, de meditar uma boa intenção, de pensar nos ensinamentos etc. etc. etc., vai te fazer colocar o câncer no lugar que ele já devia ter ocupado ano passado: um detalhe da vida que você tem para resolver. Você não vai chorar, não vai se desesperar, não vai ficar em posição fetal no sofá, nada disso. Você vai tirar uma coragem não sei de onde para uma cirurgia gigante, vai trabalhar até a véspera, vai descer tranquila para o centro cirúrgico, vai ser paciente com a recuperação, e vai seguir em frente de uma forma tão tranquila que muita gente nem vai perceber o que estava acontecendo. No meio da recuperação, você vai comprar um coletor menstrual, e isso vai ilustrar bem o que estou falando. Porque você vai estar preocupada em como colocar, como tirar, como não deixar vazar, como não machucar, e vai deixar em segundo plano essa história de cicatrizes, pontos, curativos e movimentos limitados. Câncer é só um detalhe. Então não deixe de comprar o coletor.

O câncer em 2016 foi fácil. Este ano vai ser mais difícil, mas você vai se sair bem. O período de recuperação vai ser ótimo porque vai te colocar em contato com muitas coisas diferentes. A primeira delas vai ser a necessidade de priorizar e respeitar seu corpo. Você vai ouvi-lo quando precisar dormir mais ou ficar mais quietinha no sofá, vai comer cada vez melhor, vai ter muita paciência quando o médico dizer que você já pode ir para esteira, mas você perceber que ainda não está legal para tentar voltar a correr. Você vai deixar de beber álcool mesmo estando liberada para isso, porque vai ouvir o que seu corpo te diz. Você não vai ter vergonha de dizer para o cliente que não consegue levantar o braço para usar o flip-chart, de pedir ajuda para as pessoas te servirem o café da garrafa térmica muito dura, nem de falar com as pessoas sobre a cirurgia assustadora que você vai fazer. Porque tudo isso vai ser uma forma de respeitar seu corpo e você vai se sentir muito bem com isso.

A segunda grande coisa que vai acontecer durante o período de recuperação é que você vai enfiar a cara em livros, que é algo que você ama, vai deliciar com Freud e vai fazer uma fila linda de leituras que incluirá Hannah Arendt e Simone de Beauvoir. O doutorado vai começar a tornar uma forma mais legal nessa época também. Não deixe o doutorado de lado durante o ano, porque você vai gostar muito dele até dezembro.

Pedale muito no primeiro semestre, porque no segundo semestre as sapatilhas vão ficar bem guardadinhas. E curta muito a piscina até operar, porque ela também vai ficar on hold. Se em 2016 você comemorou a recuperação da cirurgia com uma prova de 10k e algumas trilhas de mountain bike depois de poucas semanas, agora os marcos serão diferentes. Você vai ficar muito feliz quando conseguir ficar em pé para dar um treinamento ou workshop de dia inteiro. Você vai comemorar a primeira vez que levantar os braços e quase chorar de emoção quando conseguir deitar de bruços por três minutinhos. E vai se sentir Magaiver quando fizer uma viagem a trabalho sozinha envolvendo voo, mochila pesada com computador no bagageiro do avião e se trocar sozinha num quarto de hotel sem precisar de ajuda para abaixar o zíper do vestido que fica nas costas. Vai ser um exercício de paciência muito grande para quem estava acostumada a ir para a academia todo dia e escalar montanhas nos feriados. Vai lá e arrasa no pilates, que aos pouquinhos o corpo vai voltando ao normal. E, falando em feriado (e férias), viaje em todos eles enquanto puder, viaje muito, para se sentir energizada quando estiver lidando com baixa imunidade, indisposição e quando a coisa mais radical em um feriado for ir ao cinema.

Mas as crianças, mesmo com uma mãe com câncer e longas temporadas meio longe, terão um ano delicioso. Você vai ver que a escolha da nova escola desta vez foi acertada e eles vão se sair muito bem. Vão terminar o ano lendo e escrevendo, ganhando medalhas de ouro de judô, felizes e tranquilos. A guarda compartilhada que vocês definiram há poucos meses vai ser também um outro gol do ano. Dividir o tempo, dividir as responsabilidades e – principalmente – mostrar para as crianças que mamãe e papai são amigos, que conversam, que trocam as informações, fará bem para o coraçãozinho deles. Invista no relacionamento com o pai deles, esse é um relacionamento para a vida toda que só faz bem para todo mundo quando está em harmonia. Cuida bem disso em 2017.

O ano terminará com um mês de dezembro bem caótico, mas cheio de problemas bons, que é o desafio de conciliar três projetos de consultoria, um treinamento, duas pesquisas, um doutorado, um artigo para congresso e as férias escolares. Mas você vai se olhar no espelho e se ver feliz, e se achar linda, e se sentir realizada com tudo o que aconteceu em 2017.

Então diga adeus a 2016 e tenha um lindo ano novo! Feliz 2017, 2017 feliz!

 

Anúncios

Um pensamento sobre “Para o ano que vem chegando

  1. rmdelatorre disse:

    Você não quer dizer 2018?

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: