Sobre não querer (mais) filhos

Uma das coisas que aprendi com o câncer é que a quimioterapia pode afetar a fertilidade das mulheres. Eu não sabia disso. O câncer me incomodou com diversas questões, mas fertilidade não era exatamente uma questão para mim, por motivos bem simples e visíveis: eu tenho dois filhos. Eu já sou mãe, tenho duas crianças, é tudo o que eu poderia querer para exercer minha maternidade.

O médico tinha que me informar e me questionar a respeito, então passou um tempo me explicando os impactos da quimio, a possibilidade de se congelar óvulos, a importância de refletir bem sobre este assunto. Ele não me conhece, achei muito atencioso e gentil e respondi dizendo que não, obrigada, eu não vou engravidar, não vou congelar nenhum óvulo, nada disso. Na verdade, se <bate bem forte na madeira> eu engravidar sem querer, eu não vou ter o bebê de jeito nenhum e isso já é uma decisão.

Mas achei impressionante a quantidade de pessoas que quer confirmar isto comigo. “Tem certeza?”. “Já pensou bem?”. “Você ainda tem alguns anos, se quiser”. Gente, eu posso ter “alguns anos”, mas não tenho um potencial pai para outro filho, nem dinheiro, nem espaço, nem energia, nem vontade. Nenhuma vontade. Ainda mais que eu tive câncer duas vezes, gente. Tudo o que eu quero é superar isso e voltar ao que eu chamava de “vida normal”, com o Isaac e a Ruth, e só.

Como eu sinto esta pressão toda quando digo que não quero um terceiro filho (T-E-R-C-E-I-R-O), estou escrevendo isso para me solidarizar com as outras mulheres na faixa dos 30 e alguns aos que também sofrem esta pressão por não terem filhos ainda ou por não estarem planejando filhos. Sintam-se abraçadas. Sintam-se seguras para não quererem. Maternidade é linda e transformadora, mas não é obrigatória. E maternidade também muitas vezes é um saco. E, não importa se é linda ou é um saco, ninguém precisa querer. Vocês serão felizes sem filhos. Ou serão bem felizes se resolverem ser filhos mais tarde, quando vocês quiserem. E não é da conta de ninguém.

E para o resto das pessoas, peloamor, aprendam a ouvir das mulheres “não quero filhos” ou “não quero mais filhos” e apenas responder “ah, legal”. Não perguntem se elas têm certeza, como assim, já pensou bem, ainda tem uns anos pela frente. Please. Não.

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: